Home / Destaque / GGB dá dicas para segurança do folião LGBT no Carnaval de Salvador

GGB dá dicas para segurança do folião LGBT no Carnaval de Salvador

Carnaval de Salvador já começou e o Grupo Gay da Bahia (GGB) dá algumas dicas para orientar os foliões LGBTs durante a festa na capital baiana que, segundo o grupo, se tornou um destino de preferência de gays, lésbicas, travestis e transgêneros de todas as partes do mundo. Confira as dicas:

– Leve cópias autenticadas de seus documentos. Evite levar muitos documentos, mas tenha consigo o cartão do seu plano de saúde, caso haja necessidade.

– Use pochetes e leve apenas o material citado acima e o dinheiro que vai precisar naquela noite, nada mais.

– Evite demonstração em público com uso de celulares, maquinas fotográficas, filmadoras e outros equipamentos eletrônicos. Se for preciso usar o celular, faça-o em um local discreto.

– Se precisar ir ao banheiro, dê preferência a usar aqueles que fazem parte do circuito de carnaval. Não se distancie muito do circuito, pois isso pode representar algum grau de perigo.

– O circuito Dodô (Barra-Ondina) é praticamente à beira mar. Desse modo, evite locais com pouca iluminação que dão acesso a praia, pois eles podem possuir algum grau de risco de furto, por exemplo. Não fique de bobeira contemplando o som das ondas e nem as estrelas do céu.

– No final do desfile do bloco, redobre a sua atenção. Geralmente, as pessoas chegam com muita adrenalina e algumas fizeram uso de álcool, o que é compreensível, mas nos obriga a ter cautela.
– Só use transporte público, táxi ou mototáxi que esteja devidamente licenciado pela Prefeitura Municipal do Salvador. Evite usar transporte clandestino.

– Se optar por chamar algum aplicativo que oferece serviço de transporte pelo celular, vá em local discreto, faça o seu pedido e em seguida guarde o seu aparelho. Evite ficar portando o mesmo.

– Ao longo do circuito Barra/Ondina, existem cerca de três pontos de pegação. Se cair na tentação, tenha cautela, não vá para locais sem iluminação e com pouca circulação de pessoas, como as pedras das praias, por exemplo.

– Procure não voltar nas altas horas da madrugada. Saia da folia em um horário que você possa pegar algum transporte com comodidade, sem precisar andar muito.

– Durante a folia, procure se alimentar consumindo alimentos que contenha grande quantidade de fibras, evite frituras, comidas a base de azeite de dendê que podem, para quem não tem costume, causar desconforto estomacal.

– Mesmo que você tenha acabado de conhecer o boy no bloco, camarote ou circuito, se desenrole por lá mesmo, evite levar o desconhecido para sua casa.

– A proteção de cada LGBT está na organização de todos, então procure cuidar do seu semelhante. Percebendo que ele está entrando em uma cilada, interaja.

– Na paquera, vá com calma. Se perceber o “bofe escândalo” se exibindo sem camisa, primeiro olhe para ele deixando-o perceber que você o observa. Olhe e disfarce. Se ele retribuir, conquiste-o passo a passo. Não vá com muita sede ao pote. Mas, claro, avalie os riscos.

– Vai rolar sexo? Não passe vergonha. Faça a chuca, use camisinha e passe gel!

– Quer mesmo fazer sexo oral? Use camisinha. Olhe bem de perto o folião, cheire e aperte. Vermelhão, erupções e odor? Se saia! Diminua os riscos.

– Sexo em lugar público com expressiva passagem de pessoas é atentado, com menor de idade é problema, evite!

– Problemas com abordagens policiais, não esconda que é gay, viado ou como queira se identificar. Revele-se! (Bocão News)

Veja Também

Ministério da Saúde transfere responsabilidade de compra contra Covid a estados e municípios

Foto: Divulgação O Ministério da Saúde alterou a orientação sobre aquisições de insumos relacionados a ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *